LINUX NÃO É UM BICHO DE SETE CABEÇAS

0 30

Olá a todos.

Esses dias estava navegando pela internet e encontrei um texto interessante sobre Linux. No texto dizia basicamente sobre os “extremistas” que dizem que se é para usar Linux, tem que ser necessariamente em modo texto ou então, na falta de uma expressão melhor, seria um zé-ninguém.

Lendo esse texto, resolvi então, escrever esse texto em relação ao meu convívio com sistemas operacionais Linux desde quando comecei a utilizar em meados de 2009, ainda na faculdade.

A FACULDADE

Bom, assim como todos (isso mesmo, todos, incluindo profissionais de tecnologia), eu fui um usuário Windows (só quero deixar claro que hoje eu uso os dois, ou seja, é a liberdade de escolha) que migrava recentemente para o Linux e sinceramente, ficava pensando (que merda é essa?). Sim, hoje sou um chato que não gosta de usar o sistema operacional da Microsoft (mas usa assim mesmo, pois viver de tecnologia exige isso), mas naquele tempo, eu simplesmente não gostava de usar o sistema operacional do pinguim e relutava em querer deixar o meu conforto de lado para aprender algo novo.

Uma coisa que sempre dava um nó na cabeça eram coisas do tipo, “como que conecto esse sistema em uma impressora” ou “deu pane na internet, puts, agora como que vou voltar a pegar internet de novo?”

Me responde sinceramente você que é um usuário Windows assíduo e ainda está experimentando os primeiros passos no Linux ou você usuário que quer migrar de um para o outro, mas tem medo de esbarrar em diversos problemas:

– Você se identifica com uma dessas duas questões que mencionei pelas quais passei ou algo parecido a isso hoje?

Sabia que meu professor da época vivia dizendo que se você é um usuário Linux, você é livre. Poxa, ele estava completamente certo, imagina você poder escolher qual leitor de PDF usará ou quem sabe, qual ambiente gráfico escolher? Ou melhor, poder usar mais de um ambiente gráfico no mesmo sistema operacional, fazendo a escolha de um por dia. Sim meu caro leitor, você pode escolher e o melhor, não precisa saber nada de código para acessar o terminal Linux, assim como não precisava saber de códigos para mexer no prompt de comando, o famoso CMD do Windows.

SE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI, SAIBA QUE ESTE TEXTO É SOMENTE UMA OPINIÃO A RESPEITO DE LINUX E WINDOWS E FAZER COM QUE USUÁRIOS WINDOWS QUE QUEIRAM MIGRAR PARA O LINUX, NÃO ENCONTREM TANTOS ENTRAVES E DIFICULDADES ASSIM. SE PUDER VOCÊ PUDER COMPARTILHAR ESTE TEXTO COM AMIGOS, FAMILIARES, CONHECIDOS QUE QUEIRAM APRENDER MAIS SOBRE SOFTWARE LIVRE, SEREI ETERNAMENTE GRATO A VOCÊ.

Bom, continuando. Os dias foram passando e tive de aprender a usar o Linux por pura e simplesmente pressão, pois a faculdade era focada em Linux e não tive muita escolha. O que eu aprendi sobre Windows hoje, foi por pura curiosidade e cursos extracurriculares fora. A sim, antes que me esqueça, também quero deixar outra coisa bem clara, não é porque você não precise dominar o terminal Linux, que não precise se esforçar um pouco para aprender a manusear o sistema operacional que escolher utilizar, fica a dica.

Os dias foram passando e quanto mais a faculdade exigia, mais ia aprendendo a usar o Linux e terminais, até que entrei no estágio e aí tudo mudou.

O ESTÁGIO

No estágio, um amigo uma vez me fez uma pergunta que hoje eu fico com vergonha da resposta que dei a ele. Era verdade que eu aprendia muito sobre Linux na faculdade, mas até o estágio, eu realmente gostava de usar aquele sistema da janelinha que todos gostam. Voltando ao assunto, meu amigo me perguntou como que fazia para gravar um CD de instalação do Linux e eu respondi que o mesmo tinha de ser comprado e chegava em casa. Ele ficou meio pensativo, não disse nada e voltou a trabalhar no programa dele, me lembro que meu chefe me olhou de um jeito meio estranho que até hoje fico pensando (acho que eu não devia ter contratado esse cara pra trabalhar aqui).

Bom, a verdade é que depois dessa gafe, eu comecei a pegar mais pesado e a realmente aprender tudo aquilo que já era pra ter aprendido em dois anos de faculdade. Bom, mas pelo menos, isso me serviu de lição e hoje caro leitor, eu posso te dizer algumas coisas se você é como eu fui naquela época, está chegando agora no Linux e não sabe por onde começar, confira abaixo:

  • Você gosta de jogar na Steam? Saiba que hoje existem sistemas operacionais que já vem com a Steam pré instalada, onde você não precisa nem ter o esforço de instalar;
  • A instalação de programas é tão fácil quanto a instalação em um ambiente Windows;
  • A dúvida que mais ouço até hoje “Não existe suporte para Linux”. Buuuuu, a maior gafe de todas, pois suporte para Linux é muito maior que o suporte para Windows. Uma breve explicação do porque é, quanto maior o conhecimento você adquirir sobre Linux, você acaba se transformando nesse suporte. O que quero dizer é que espalhado pela web, existem diversos fóruns de acesso que você pode deixar suas dúvidas, assim como ajudar quem necessita de ajuda, então, o suporte sou eu, é você e quem puder ajudar o próximo;
  • Não existem jogos nativos para Linux. Outra gafe, hoje existem games até interessantes como Open arena que é bem parecido com o Conter Strike se não me engano, além de ser tão bom quanto;
  • Você quer saber mais sobre sistemas operacionais livres? Pode acessar diversos blogs que falam a respeito, pode acessar o site Distrowatch que tem informações mais precisas como fóruns e sites de download específicos da distro ou pode continuar de olho aqui no nosso site, pois com o tempo, vou postar informações sobre as mais diversas distros para Desktop, Online e Móvel para irem aprendendo e se habituando mais;
  • Um dos maiores canais de suporte para Linux hoje é o Viva o Linux. Assim como eu disse, você pode estar logando no site e deixando suas dúvidas, assim como ajudando outros membros que precisam de ajuda, ou se tiver muitos pedidos, posso fazer um fórum aqui mesmo no acesso Linux para todos;
  • Existem sistemas operacionais de diversos tipos. Se alguém vier dizer para você que para usar Linux você precisa dominar “obrigatoriamente” o terminal e Shell Script, saiba que esse é só um cara que quer saber mais que todos e não contribuem nada com nada. Linux é sinônimo de software livre, ou seja, liberdade, ou seja, uma comunidade onde todos se ajudam por um bem maior. Lembre-se sempre que a maioria dos bugs podem ser resolvidos sem a necessidade do terminal e muito pouco você utiliza do terminal para trabalhar, então, a escolha é sua, “qual pílula você quer tomar Neo? Azul ou vermelha?”

Bom, é isso, logo vou fazer um vídeo resumido mostrando algumas características básicas em cima do sistema operacional Ubuntu só para entenderem melhor e verem que Linux não é nada de bicho de sete cabeças.

Outra coisa que quero deixar claro, este é um site para trazer informação, assim como existirá usuários que se enquadram melhor com distros baseadas em Ubuntu/Debian, pode haver usuários que gostem mais de distros baseadas no Arch, assim como baseadas no Fedora, então, a escolha é de cada um e nenhuma é melhor que a outra, afinal, dois usuários podem usar dois sistemas diferentes, mas com o mesmo ambiente gráfico, uma das coisas que acho mais legal.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta